quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Leandro Karnal - Ramlet e o Facebook

Leandro Karnal e o facebook!! Pra quem não compreende as pessoas, que não são tão ligadas em redes sociais!! Amo esse cara!!



Café Filosófico ¨Hamlet de Shakespeare e o mundo como palco¨, Com Leandro Karnal

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Hermann Hesse para desorientados - A Natureza nos acolhe


Todo ser humano precisa retomar essa tranquilidade essencial, sair do mundo por alguns instantes e estar a sós consigo mesmo, confortado pela natureza. Também se pode entrar em contato com ela através do diálogo criativo. Por exemplo, por meio da jardinagem, uma atividade a que o próprio Hesse se entregou de corpo e alma durante boa parte da vida. A jardinagem é uma terapia muito poderosa para reduzir o estresse e a ansiedade. Em alguns centros de tratamento recomendam o cultivo da terra para pessoas com deficiência ou em processo de reabilitação.

Ao cuidar do jardim, detemos o pensamento enquanto nossa atenção é voltada para a vida que se desenvolve diante dos nossos olhos. Aprendemos sobre as plantas, entramos em comunhão com elas e assumimos seu ritmo, sem exigências nem expectativas.
Há estudos que indicam que o cuidado com as plantas eleva a autoestima, favorece  o relaxamento e, sem dúvida, ajuda a obter um tônus físico melhor, tanto pelo exercício suave como pelo fato de estar ao ar livre.

Por outro lado, cuidar de algo que não seja nós mesmos traz um grande benefício espiritual. Ajudamos a natureza a prosperar e de algum modo crescemos com ela, já que nos concentramos em um objetivo pequeno, concreto, onde a observação, e não a ação, é o mais importante.

As plantas têm o seu ritmo, e a pessoa que cuida delas aprende a respeitá-lo e a integrá-lo em sua vida. Há muito o que aprender com um jardim em crescimento, pois seu estado e os cuidados que lhe dispensamos são um reflexo de nosso jardim interior. Talvez a lição seja simples assim: quem é capaz de cuidar de seu jardim também pode cuidar de si mesmo.

Percy, Allan, 1968- Hermann Hesse para desorientados:  : Sextante, 2013. pag. 39.

O amor é silêncioso

Hoje acordei com essa frase na cabeça... escrevi  essa frase em tudo quanto é lugar, nos meus cadernos, livros, apostilas e inclusive na porta do banheiro já pichada do cursinho. Incrível como uma frase tão pequena, tão singela se apodera assim do nosso ser. Me sinto inundada de um Amor tão forte, que da vontade de fechar os olhos e somente ficar sentindo essa sensação. Como se fosse um transe.
Uma vontade de meditar, a sensação de plenitude  me sinto capaz de amar com um potencial que eu não sei descrever, de fazer alguém feliz, de viver intensamente, apaixonada a vida, independente do que os outros pensam, independente dos problemas e obstáculos, independente das dores do mundo...



sábado, 8 de agosto de 2015

XXIV Corrida do Advogado - Agosto de 2015

Foi pauleira porque eu não funciono direito pela manhã! De manhã pra mim é contemplação, é meditação, é reza, oração, alongamento, yoga, leitura...tudo menos corrida. Mas graças ao bom Deus... eu consegui completar a corrida CORRENDOOO...com a ajuda de dois Anjos da Guarda aqui na terra: Primeiro o  Daniel (ele é do bombeiro, se eu caísse dura ele me acudiria rsrsr) e o segundo Anjo o Dr. Elson  (de boné branco). GrazaDeus!! eu consegui fazer todo o percurso de 5 quilômetros em 35 minutos!! mais ou menos né?! pra quem só faz 6 quilômetros por semana!!  

Estou vencendo!!



Daniel e Eu

Dr. Elson e Eu

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

O Silêncio dos Lobos

Pense em alguém que seja poderoso…
Essa pessoa briga e grita como uma galinha, 
ou olha e silencia, como um lobo?
Lobos não gritam.


Eles têm a aura de força e poder.
Observam em silêncio.
Somente os poderosos, sejam lobos, homens ou mulheres,

respondem a um ataque verbal com o silêncio.

Além disso, quem evita dizer tudo o que tem vontade, 

raramente se arrepende por magoar alguém com palavras 
ásperas e impensadas.
Exatamente por isso, o primeiro e mais óbvio sinal de poder 
sobre si mesmo é o silêncio em momentos críticos.
Se você está em silêncio, olhando para o problema, 

mostra que está pensando, sem tempo para debates fúteis.

Se for uma discussão que já deixou o terreno da razão, 

quem silencia mostra que já venceu, 
mesmo quando o outro lado insiste em gritar a sua derrota.

Olhe.
Sorria.
Silencie.
Vá em frente.

Lembre-se de que há momentos de falar e há momentos de silenciar.
Escolha qual desses momentos é o correto, mesmo que tenha que se esforçar para isso.
Por alguma razão, provavelmente cultural, somos treinados para a
(falsa) idéia de que somos obrigados a responder a todas as perguntas e reagir a todos os ataques.

Não é verdade !

Você responde somente ao que quer responder e reage somente 

ao que quer reagir. Você nem mesmo é obrigado a atender seu telefone pessoal.
Falar é uma escolha, não uma exigência, por mais que assim o pareça.
Você pode escolher o silêncio.

Além disso, você não terá que se arrepender 

por coisas ditas em momentos impensados, 
como defendeu Xenocrates, mais de trezentos anos antes de Cristo, ao afirmar:

“Me arrependo de coisas que disse, mas jamais do meu silêncio”.

Responda com o silêncio, quando for necessário.
Use sorrisos, não sorrisos sarcásticos, mas reais.
Use o olhar, use um abraço ou use qualquer outra coisa 

para não responder em alguns momentos.
Você verá que o silêncio pode ser a mais poderosa das respostas.
E, no momento certo, a mais compreensiva e real delas.

Texto de Aldo Aldo Novak

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Tesouro Oculto

Existia em certa região a crença de que em épocas remotas um povo de grande sabedoria a havia habitado, deixando um tesouro oculto no alto das montanhas. Afirmava-se que quem o encontrasse se converteria no homem mais rico do mundo, e que ninguém poderia roubar sua fortuna. De geração em geração, acreditaram que encontrar aquele tesouro atrairia para esse lugar uma prosperidade e uma harmonia nunca vistas.





Empreenderam-se muitas expedições. Foram feitas inumeráveis rastreios e escavações, tudo em vão. Os anos foram passando, e o tesouro se transformou em lenda. Vivia naquea região um jovem, muito amado poir todos. Para ele também o tesouro parecia inalcançável. Exitoso em tudo o que empreendia, era inexplicável o sentimento de vazio que sempre o dominava. Movido por uma imperiosa necessidade de refletir, começou a buscar a quietude nos arredores. 

No alto de uma montanha próxima se dedicava a contemplar o Sol. Quase diariamente se dirigia a esse lugar para ver as luzes silenciosas do crepúsculo, ou para sentir o chamado de alegria do amanhecer. Depois de algum tempo, o jovem notou que sua insatisfação tinha desaparecido. Um sentido de plenitude havia crescido em seu ser. Além disto começou a observar que, cada vez que regressava da montanha, algumas pessoas o esperavam pelo caminho, e estas eram tocadas pelo mesmo estado de paz.

Em uma tarde de primavera, quando a natureza desabrochava em flores e o céu azul resplandecia, o jovem se lembrou do tesouro, e os raios do Sol o fizeram ver o grande legado que, quase sem se dar conta, havia encontrado: pensamento luminoso para iluminar seus rumos, sentimento luminoso para iluminar seus contatos, e ação luminosa para iluminar seu mundo. Dentro de si, onde ninguém podia chegar, inextinguível e inviolável, estava o ansiado tesouro.

( Extraído do Boletim Sinais nº 10 - Número dedicado al Despertar do Magnetismo Interno - Figueira  Ed. Irdin )

domingo, 19 de julho de 2015

Aprende com o silêncio

Como dizia um antigo mestre zen Shunryu Suzuki... "estas palavras são dirigidas primeiramente para mim...principalmente para mim..."


Aprende com o silêncio a ouvir os sons interiores da sua alma, a calar-se nas    discussões e assim evitar tragédias e desafetos, aprende com o silêncio a respeitar a opinião dos outros, por mais contrária que seja da sua, aprende com o silêncio a aceitar alguns fatos que você provocou, a ser humilde deixando o orgulho gritar lá fora.
Aprende com o silêncio a reparar nas coisas mais simples, valorizar o que é belo, ouvir o que faz algum sentido, evitar reclamações vazias e sem sentido, aprende com o silêncio que a solidão não é o pior castigo, existem companhias bem piores….



Aprende com o silêncio que a vida é boa, que nós só precisamos olhar para o lado certo, ouvir a música certa, ler o livro certo, que pode ser qualquer livro, desde que você o leia até o fim.



Aprende com o silêncio que tudo tem um ciclo, como as marés que insistem em ir e voltar, os pássaros que migram e voltam ao mesmo lugar, como a Terra que faz a volta completa sobre o seu próprio eixo, complete a sua tarefa.


Aprende com o silêncio a respeitar a sua vida, valorizar o seu dia, enxergar em você as qualidades que possui, equilibrar os defeitos que você tem e sabe que precisa corrigir e enxergar aqueles que você ainda não descobriu .

Aprende com o silêncio a relaxar, mesmo no pior trânsito, na maior das cobranças, na briga mais acalorada, na discussão entre familiares, aprende com o silêncio a respeitar o seu “eu”, a valorizar o ser humano que você é, a respeitar o Templo que é o seu corpo, e o santuário que é a sua vida.
Aprende hoje com o silêncio, que gritar não traz respeito, que ouvir ainda é melhor que muito falar, e em respeito a você, eu me calo, me silêncio, para que você possa ouvir o seu interior que quer lhe falar, desejar-lhe um dia vitorioso e confirmar que você é especial.


(Paulo Roberto Gaefke)

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Guarda Mirim Brasília: Passeio Ecologico

Oração a Mãe Terra 
(por Sarah Tamar por Joanita Molina)



Solo sagrado que nos acolhe, louvamos e agradecemos por toda a vida
gerada em todos os vossos reinos.
Hoje, depois de tantos ciclos, depois de tanto tempo...
Percebemos e sabemos o tamanho de vossa beleza,
a sacralidade de vossa pureza,
a magnitude de vossa grandeza;
a divindade de vossa natureza.



Nutridos e acolhidos em vosso amor divino,
Sabemos a simplicidade de nosso destino.

Perdoa-nos por todas as vezes que esquecemos a magnitude de vossa existência,
Por todas as vezes que deixamos de protegê-la, negando a tão sagrada consciência.



Terra sagrada das quatro estações, 
das oito visões, dos ciclos divinos que ensinam as grandes lições... 
o tempo de semear, de cultivar, de crescer, de nutrir, de colher... 
o tempo de mudar, de trocar, de partilhar, de deixar ir, de contemplar...
o tempo de ser, de viver, de saber; de morrer...



 Terra sagrada dos ciclos da vida, Grande Mãe, 
tão amada e querida, Vos louvamos, vos agradecemos, 
Vos abençoamos e à vós prometemos:

Que vosso fogo incendeie nosso espirito;
Que vossas águas renovem nossos corações;
Que vossos ares libertem nossas mentes;
Que vossas terras nutram nossos corpos;
E assim seremos UM com vossa Presença!!!



E assim, sua alma será para sempre 
sentida e vivida dentro de nós, 
E em unidade, honraremos a sabedoria 
e a vida que existe em Tudo. Na Terra, como no ceu! Amem




 ...Amada Gaya, recebei de nós, 
vossos filhos, a gratidão infinita.
Que possamos colocar no vosso 
sagrado coração todo o nosso imenso amor 
e todo o nosso absoluto reconhecimento."
 

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Gato preto - Meu amigo Augusto Roberto


Oiee tudo tri-legal!! Meu nome é Augusto Roberto!! Mas pode chamar de augusto que eu vou correndo!! A Maria é minha amigona, sempre que a vejo chegar pra lanchar, vou correndo e me enrosco todo nos pés dela. Ela me dá carinho, faz cafuné e ainda me da biscoitos pra comer, o que eu mais gosto é o biscoito de nata e pão de queijo. 

(Oiee meu nome é Augusto Roberto, eu moro na faculdade projeção, e sou alimentado pelos alunos e concurseiros que frequentam a biblioteca. Vivo ronronando pra Maria!! )

(Ronronar: é a forma que os gatinhos usam pra expressar os sentimentos de: paz, tranquilidade, prazer e satisfação ao receber por exemplo um CAFUNÉ)

terça-feira, 7 de abril de 2015

Torcicolo

Já tem 03 dias que eu estou com o pescoço duro, duro... inchado e doendo pra caramba.... Hoje  acordei com o pescoço inchado, sem dores e girando só para um lado. Fui trabalhar com torcicolo que  me acompanha desde dos 18 anos. Segue abaixo um texto de uma postagem que escrevi tem um tempo, que fala sobre o assunto, escrevi  em 2010 no meu antigo blog saturnandoblogspot.com.br. A pedidos de alguns internautas compartilho aqui com você também!! Já que meu pescoço ainda se encontra meio durinho e inchado como da pra perceber na foto....














depois de vários alongamentos o único músculo que amanheceu doendo foi o omo-hióideo. Os esternocleidomastóideos de um dos lados já esta funcionando, devagarinho... 

Na medicina convencional o torcicolo é isto:

"Um ferimento imobiliza a articulação e dispara um espasmo, ou seja, uma contração súbita e involuntária no músculo chamado esternocleidomastóideo. Há um em cada lado do pescoço, mas apenas um deles, o vizinho à lesão, é afetado. Os nervos dentro do músculo e ao seu redor se comprimem progressivamente e se inflamam."

"O espasmo pode progredir para outros músculos, como o omo-hióideo, o que impede a movimentação para um dos lados. Por mais incômodo que seja, o torcicolo serve para proteger o pescoço evitando que o ferimento inicial se transforme em algo mais grave. infográfico Eder Redder" (Fonte Reynaldo Jesus-Garcia, da UNIFESP in: http://saude.abril.com.br/edicoes/0259/infograficos/conteudo_88238.shtml 

Se você for ao médico convencional ele vai te receitar uns relaxantes musculares e te colocar um colar daqueles, como sempre. Com todo respeito, HOJE eu evito o máximo a medicina convencional, prefiro buscar fontes NATURAIS, uma alimentação saudável, meditação, caminhada, YOGA, um FLORAL uma terapia oriental do que  qualquer tipo de medicamento desses que tem por ai. Se bem que sinceramente tem uns relaxantes musculares que ajudam bastante no alivio das dores.

Medicina Oriental: Previne a doença ao invés de cultuá-la

Os orientais buscam antes de tudo prevenir as doenças ao invés de cultuá-las, buscam saber o significado e o MOTIVO daquela doença e não apenas te drogar. A escritora Cristina Cairo que é fundadora do Instituto da Linguagem do Corpo em Sampa e autora do livro A linguagem do corpo, explica que o torcicolor acontece naquelas pessoas: " cabeça dura, perfeccionistas e rígidas demais em suas opiniões"
Inclusive a autora propõem que a pessoa com o torcicolo:

"Pare e pense e reveja e analise os seus últimos atos ou pensamentos contra algo ou contra alguém" e conclui que "se a pessoa não voltar atrás sobre algumas opiniões rígidas demais, o resultado será um pescoço duro, e dolorido, para mostrar que o individuo ainda não consegue olhar para o outro lado da questão. E, literalmente, a pessoa não conseguirá olhar para o lado, a não ser que gire o corpo todo"

Nestes 03 dias de torcicolo eu REFLETI  o que  se passou, as coisas que eu disse para as pessoas , e até que foi bom em alguns aspectos, pois pude fazer uma faxina interna na minha Alma no meu coração de coisas que eu fiz, que eu disse dos chutes nas traves e HERRAR É HUMANO QUEM NÃO COMPREENDE É DESUMANO! o Importante é ter consciência, voltar retificar e não fazer mais.

Junto a isto, apliquei as dicas desse livro:

1. Andar descalço para aterrar mais e sair do MENTAL;

2. Andar mais devagar, fazer caminhada ao invés de correr;

3. Fazer ALONGAMENTOS NO PESCOÇO mesmo doendo; ao acordar, durante o dia, e antes de dormir.



E no passado em 2011, eu procurei uma massoterapeuta, que depois de uma conversa de uns 30 minutos  de interrogatório, me receitou uns florais, massagens, me ensinou e deu uma massagem uns toques mágicos nos pés que refletem toda a área do pescoço, e ainda me receitou um floral da califórnia  que sempre uso, ainda hoje quando isso acontece, para também aterrar mais e sair do tal MENTAL, além de ressaltar a questão da caminhada ao invés da corrida (isto já não esta relacionado ao torcicolo, mas outras coisas que se relacionam a saúde qualidade de vida para o meu dosha) Ela chegou a essa conclusão depois analisar o meu dosha (para nós ocidentais é o BIÓTIPO) é avaliado de pessoa para pessoa depois de alguns procedimentos como medir o pulso, as características físicas e uns testes com diversas perguntas. (que vc pode encontrar quase que parecido no seguinte site: http://nova.abril.com.br/testes/quest_humores/)

Resumo da ópera:
 Cada pesssoa tem uma natureza (um dosha) formado por água, fogo, terra e ar. Conhecendo a tua natureza fica mais fácil de saber controlar aquilo que te faz bem, e afastar-se aquilo que te faz mal ou de escolher as atividades físicas que conectam-se com o estilo de vida que você leva no momento. (Como no meu caso a caminhada, meditação, yoga ao invés da corrida).

Quanto ao torcicolo, no fim eu acredito que tem mesmo relação com o perfeccionismo, com as opiniões rígidas que a gente toma de vez em quando, e aí a Roda da vida gira, e você ganha um pescoço duro para se alinhar, para ser mais flexível e aceitar as limitações SUAS e de quem te cerca também, e não ser indiferente com eles, mas sim ter compaixão buscando a tolerância.

E vou aqui citar o Fernando Pessoa (por quem sou eternamente apaixonada) pra fechar com um trechinho de um poema que ele diz que tudo são maneiras de ver, e aí lá no final ele escreve que:


"Onde você vê a teimosia, alguém vê a ignorância, e um outro compreende as limitações do companheiro, percebendo que cada qual caminha em seu próprio passo e que é inútil querer apressar o passo do outro, a não ser que ele deseje isso"

Agradeço
Shalom

quinta-feira, 2 de abril de 2015

terça-feira, 31 de março de 2015

OPTCHÁ

Bom dia pessoal que ainda vem aqui!! (se ainda tem gente que visita aqui) Bom diaaa!!! Fiquei em off esses dias!! Dei umas viajadas umas meditadas!! e também estava toda atarefada, tive que me organizar esses dias (eu sou uma pessoa ocupada galera...hé hé hé) mas agora voltamos a nossa programação anormal!!
Voltamos a monologar...



OPTCHÁ!!!!

quarta-feira, 18 de março de 2015

Lucidez - Planeta Mércurio

....Claridade, Lucidez, discernimento....


Dizem os astrólogos, que no momento do nosso nascimento, determinada conjunção astrológica se configura no céu. Essa conjunção de planetas determina, como você será afetado em sua encarnação na terra. Esses planetas (ou deuses)  podem ser os seus guias, ou mentores, não no sentindo de serem seus heróis ou salvadores. Mas no sentindo de poder nos inspirar as qualidades dos planetas em nossas vidas, em nossos pensamentos, palavras e ações.

Hoje!! Especialmente hoje, uma quarta-feira Regida pelo planeta Mercúrio, planeta que conforme a astrologia, seja védica, tradicional e cármica estava no céu no dia do meu nascimento, em conjunção com Vénus e Saturno. Eu rogo somente...somente mesmo, com todo o meu coração, com toda a minha alma... 

Claridade, Lucidez e discernimento.


domingo, 15 de março de 2015

Sentimos muito mais que explicamos

Sentimos muito, inclusive mais que explicamos...

Ps.: resposta dada para o seu novo colega de cursinho, de estudos, que por 15 minutos, te contou casos e mais casos engraçados, avoados e com um leve tom pejorativo das pessoas do signo de peixes, sem saber que você é  pisciana. Isso é ou não é " inferno astral?". Eu mereço.






"eu sentindo-me e sentindo-te, sentindo-te e sentindo-me. Sentindo-me, sentindo-te. Sentindo, que sentes que te sinto. Sentindo-me, sentindo que me sentes, e que te sentes, sentindo-me". (Hector Athon)

sexta-feira, 13 de março de 2015

DESINTOXICANDO-SE DAS EMOÇÕES VENENOSAS

Tinha esquecido desse vídeo!! Hoje eu ouvi fazendo caminhada!! Esse psicologo Marco Aurélio Bilibio, a partir da abordagem budista, discorre brilhantemente das emoções toxicas  e do adoecimento psíquico do ser, ele ainda explica  como podemos aprender a nos desintoxicarmos dessas fixações, fascinações  e recobrarmos o fluxo natural de emoções nutritivas, tanto na vida pessoal como na profissional. 

Ele é T.U.D.O de bom!! Sem falar na voz harmoniosa e linda desse homem!! Tem uma parte interessante que ele diz que o homem ocidental, é naturalmente ensinado a acreditar que o INIMIGO esta fora dele. Já o homem oriental mais "espiritualizado" digamos, crê que o inimigo existe dentro dele, a questão da responsabilidade pelos nossos atos na visão budista. Ai eu amo esse vídeo!!




É sempre bom...ouvir e refletir sobre essa palestra!! pois como um rio a gente sempre vai mudando...modificando-se, flexibilizando-se... e a nossa cabeça de 2 anos passados, com certeza não é a mesma de hoje!! 

Hay Kay : Paulo Leminski

"Aqui nessa pedra, alguém sentou para olhar o mar 
O mar não parou para ser olhado
Foi mar pra tudo que é lado"

Paulo Leminski

quinta-feira, 12 de março de 2015

Inferno Astral - Fazendo um LIMPA

Senhoras e Senhores bom dia!! Não estamos com nossa programação normal. Estou totalmente em curto circuito. Eu não sei sobre vocês,  mas eu quando estou perto de fazer aniversário, fico insuportável, me sentindo a pessoa mais esquisita do mundo. Uma vontade louca de jogar fora tudo que me faz me sentir mal. Como se fosse uma desintoxicação de sentimentos, pessoas, lugares, e emoções toxicas. Olha é FOGO pra não dizer outra coisa...  um palavrão por exemplo...É FOGO...



quarta-feira, 11 de março de 2015

Praticando o Desapego

Quantas vezes nos sentimos pesados...tristes, alimentando sentimentos e ilusões que não servem mais, que somente sugam a sua energia, e quando nos desfazemos de sentimentos, situações e pessoas negativas, ilusões que somente nós alimentamos, devemos enxergar isso como  uma oportunidade ÚNICA que o universo nos proporciona de nós libertarmos!! 


Praticando o Desapego  - de Fernando Pessoa

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final.
Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário....
Perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.

Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos.
Não importa o nome que damos, 

o que importa é deixar no passado os momentos que já se acabaram.
As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas possam ir embora.



Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se. 

Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, 

portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.
Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo 

Diga a sí mesmo que o que passou jamais voltará.

Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo... 
- Nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.
Encerrando ciclos, não por causa do orgulho, por incapacidade ou por soberba...
Mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais em sua vida.

Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira.
Quando um dia você decidir a pôr um ponto final naquilo que já não te acrescenta.
Que você esteja bem certo disso, para que possa ir em frente, ir embora de vez.

Desapegar-se, é renovar votos de esperança de sí mesmo,
É dar-se uma nova oportunidade de construir uma nova história melhor.
Liberte-se de tudo aquilo que não tem te feito bem, 

daquilo que já não tem nenhum valor, 
e siga, siga novos rumos, desvende novos mundos.

A vida não espera.
O tempo não perdoa. 
E a esperança, é sempre a última a lhe deixar.

Então, recomece, desapegue-se! 

Ser livre, não tem preço!

terça-feira, 10 de março de 2015

sexta-feira, 6 de março de 2015

Lei do Perdão

"Perdoai-me todas as minhas transgressões
Contra o suave caminho do Amor"


Perdoai-me ó! minha presença
Perdoai-me, eu vos rogo
Perdoai-me todas as minhas transgressões
Contra o suave caminho do amor
Ó! Ajudai-me a querer, com fervor
Livra-me de todos os meus erros.


Eu vos amo! Eu vos amo! Ó! Ajudai-me a ser divino

Perdoai-a! Ó Grande Presença!
Perdoai a HUMANIDADE
Eu Rogo, Perdoai todas as suas transgressões
Contra o suave caminho do Amor
Ó!! Ajudai-a a querer, com fervor,
Livrar-se de todos os seus erros.
Ó...Amai-a! Amai-a! Até que ela seja una convosco



segunda-feira, 2 de março de 2015

O Efeito Sombra - Deepak Chopra

Dos intervalos nossos de cada dia: relendo trechos do efeito sombra

O Efeito Sombra : Encontre o poder escondido na sua verdade
"Se não identificamos onde somos desonestos,     ásperos,   impiedosos,    desrespeitosos,  gananciosos, dominadores etc., então não podemos mudar aquilo. Se apenas reprimimos a sombra, tentando rejeitá-la, ela existe como uma fração desintegrada de nossa personalidade."
"E preciso coragem para olhar profundamente para si mesmo, mas, até que o façamos, não podemos ter liberdade nem paz reais."
Um livro desafiador... fala do comportamento da pessoa que é toda "bonitinha" "certinha" moralista para agradar os outros, por medo de não ser aceito, de não ser amado.  A autora Debie Ford destaca que tudo começa quando queremos agradar primeiramente os pais,  os professores na escola, os que amamos.

O livro chama a responsabilidade para que cada um assuma os próprios erros, e deixe de jogar a culpa do seu fracasso, dos erros e desarcertos no outro, no papai, na mamãe, no irmão, no chefe no namorado. Diz que geralmente aquilo que nos incomoda no OUTRO é um reflexo do defeito da sombra existente dentro de nós.

São pessoas que se tornam em "alguém" que nunca quiseram SER. Alerta que se nos recusamos a revelar a sombra por vontade própria, corremos o risco de ficar na linha de fogo do que os autores chamam de "Efeito Sombra" que acaba assumindo o controle da sua vida. Para isto não acontecer os  autorores alerta para que usemos dentre várias outras coisas o exercício do PERDÃO para liberar a CULPA que carregamos, quando parte de nossa vida está oculta na escuridão, para que assim tenhamos uma vida autêntica.


E agora eu lembrei da vipassana...

 "ver as coisas como são"

Na Vipassana (conhecida como meditação do silêncio)  a gente aprende tudo isto e muito mais, (repito)  muito mais mesmo. Para quem ainda não conhece,  a Vipassana é uma técnica de meditação que usa inicialmente a respiração (anapana) como principio básico  de uma técnica um processo maior que vai sendo introduzido num ciclo de 10 dias. Não é um ritual de fé cega, ou entretenimento intelectual filosofico, parafraseando o Sr. Goenka a vipassana é " uma  arte de viver", um sistema de purificação mental que nos permite enfrentar todas as tensões e problemas da vida de maneira calma e equilibrada, e a sua prática continuada vai desmanchando os nós que foram atados por nosso velho hábito de reagir de forma desequilibrada às situações agradáveis e desagradáveis.

Foi Sidarta Gautama o Buda que introduziu a técnica e doou a toda humanidade. No curso de 10 dias, uma das regras (BASICAS) é ficar em silêncio (nobre silêncio). É absolutamente proibido, durante o curso, todo tipo de oração, culto ou cerimônia religiosa,  dentre os quais:  jejum, incensos, rosários, mantras, cânticos, danças, etc. Também deverá ser suspensa a prática de outras técnicas de meditação, terapias, práticas espirituais, etc. Isto de maneira nenhuma significa que as outras praticas sejam condenadas, mas é para dar à técnica de Vipassana a oportunidade de manifestar-se em toda sua PUREZA.

Ali temos a oportunidade de trazer a tona o que temos de mais obscuro dentro de nós e encararmos de frente as nossas sombras, com o intuito de sermos AUTÊNTICOS conosco e com os outros. Aprendemos a literalmente ver as coisas como realmente são, sem precisar que um outro lhe diga, afinal se conselho fosse bom a gente venderia. Aprendemos a distinguir o real a ilusão,  quando a situação surge você obrigatoriamente enfrenta apenas MEDITANDO quase que o dia inteiro, é dor para tudo quanto é lado no inicio, requer muita força de vontade. Para se ter ideia no meu primeiro curso 4 pessoas desistiram por causa das dores, dentre ela uma oficial do exército saiu chorando por não ter tido  preparo mental e emocional para encarar a si mesmo,  para ficar tanto tempo em silêncio sem poder falar ou se comunicar com alguém. Mas depois de um ano (em 2009) nos reencontramos num evento,  ela me disse que retornou no ano seguinte e que fez tudo conforme o figurino, que foi um sucesso e que estava praticando todos os dias desde então.

Em média, no curso meditamos umas 9 a 10 horas por dia (não recordo muito bem)  fora as palestras que são ministradas todas as noites com as instruções e orientações. A vipassana mudou minha vida! Graças a a Deus veio no momento certo. Depois do terceiro dia eu praticamente nasci e morri todos os dias naquele lugar.

Com Metta (amor em pali)
Que todos os seres sejam felizes!

sábado, 28 de fevereiro de 2015

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

O Poder do silêncio

Quando a gente fala  da lei do silêncio a gente pensa que é simplesmente  ficar calado, que é não falar não emitir sons. Uma vez eu ouvi uma palestra que discursava sobre os trabalhos de hércules e ela dizia que o silêncio é também falar corretamente. A palestrante dizia que a  palavra e o silêncio na verdade podem ser uma coisa só. 

A gente pode falar silenciosamente a gente pode silenciosamente falar. (captou...rsrs)


E isso vai acontecer quando essa palavra esse som esse silencio, estiverem imbuídos da energia interior, e aprofundando no silêncio, encontramos também o silêncio das emoções, o silêncio dos pensamentos, o silêncio dos julgamentos, o silencio das nossas ações, o silêncio a cerca do que pensamos sobre nós mesmos, e do silêncio de emitir opiniões acerca de tudo e de todos, queremos de alguma forma com essas "opiniões" impor nossas vontades e fazer o outro engolir  como vemos o mundo a vida. 

E é incrível como sempre sempre...encontramos aqueles amigos, que não são terapeutas, mas agem como se fossem, emitindo sempre uma opinião sobre tudo, que sempre sempre sempre tem algo a dizer para gente, mesmo quando não precisamos, quando não pedimos.

Quando a pessoa é um entendido do assunto, é um terapeuta, é um psicologo, ou simplesmente tem a sensibilidade de perceber e sentir a alma do outro, ela sabe que no silêncio também se diz tudo. Ela silenciosamente diz tudo.

Então tudo fazemos de acordo com a nossa lente, com nossas réguas e medidas. Tudo a gente tenta fazer com a nossa identidade. E a palestrante dizia que nesse momento o trabalho com o silêncio é o de estarmos totalmente despojados de nós mesmos. de estarmos libertos de nós mesmos, sem a arrogância e o autoritarismo de estarmos fazendo com que aquilo que achamos da vida tenha que ser manifestado.

Ai podemos pensar: 

Peraí...mas eu estou falando pq eu acho??? ou você pode estar falando para ser simplesmente reconhecido. Você pode estar falando para ser notado. Ou você pode estar falando pra ser amado. Não é fácil perceber... pois em tudo a gente constrói uma teoria, e tomamos posse, tomamos posse inclusive das coisas evoluídas, da área que estamos servindo. Não quero dizer com isso que devemos nos despojar de tudo e aniquilarmos o nosso Eu. Não é isso, é apenas observar... e não nós deixarmos levar pelo egoismo, pelo autoritarismo, e pela posse das coisas e inclusive da posse sobre o outro. 

Não é fácil perceber isso, é bem sutil...

Fontes: 
-Os Doze trabalhos de Hércules - palestras trigueirinho - figueira
-Os Doze trabalhos de Hércules - palestras Heloisa e Mauricio - Figueira
-O Poder do Silêncio - Trigueirinho 

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Bilhete - Mário Quintana

Se tu me amas, ama-me baixinho
Não grites de cima dos telhados
Deixa em paz os passarinhos
Deixa em paz a mim!
Enfim, tem de ser bem devagarinho
Amada, que a vida é breve
E o amor mais breve ainda...

(Mário Quintana)





Foto: Getty revista veja


terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Ostra feliz não faz pérola - Rubens Alves

As pessoas felizes não produzem pérolas, hoje vivemos sob a égide de que somos obrigados a sermos felizes sempre. Claro que existem sofrimentos naturais, como doenças, decepções amorosas etc... mas  existem também outras dores e sofrimentos que surgem da alma, artista como Bethoven, Van Gogh, Cecília Meireles, Fernando Pessoa, músicos e poetas com um tempo também desenvolveram e criaram suas próprias perolas, para serem mais fortes, que a dor causada tanto por um grão de areia , como também as dores  que surgem da própria alma.

Segue a estória...

Eram ostras felizes. Sabia-se que eram ostras felizes porque de dentro de suas conchas saía uma delicada melodia, música aquática, como se fosse um canto gregoriano, todas cantando a mesma música. Com uma exceção: de uma ostra solitária que fazia um solo solitário. Diferente da alegre música aquática, ela cantava um canto muito triste. 


As ostras felizes se riam dela e diziam: “Ela não sai da sua depressão...”. Não era depressão. Era dor. Pois
um grão de areia havia entrado dentro da sua carne e doía, doía, doía. E ela não tinha jeito de se livrar dele, do grão de areia. Mas era possível livrar-se da dor. O seu corpo sabia que, para se livrar da dor que o grão de areia lhe provocava, em virtude de suas aspereza, arestas e pontas, bastava envolvê-lo com uma substância lisa, brilhante e redonda. Assim, enquanto cantava seu canto triste, o seu corpo fazia o trabalho – por causa da dor que o grão de areia lhe causava

Um dia, passou por ali um pescador com o seu barco. Lançou a rede e toda a colônia de ostras, inclusive a sofredora, foi pescada. O pescador se alegrou, levou-as para casa e sua mulher fez uma deliciosa sopa de ostras. Deliciando-se com as ostras, de repente seus dentes bateram num objeto duro que estava dentro de uma ostra. Ele o tomou nos dedos e sorriu de felicidade: era uma pérola, uma linda pérola. 

Apenas a ostra sofredora fizera uma pérola. Ele a tomou e deu-a de presente para a sua esposa. Isso é verdade para as ostras. E é verdade para os seres humanos. No seu ensaio sobre O nascimento da tragédia grega a partir do espírito da música, Nietzsche observou que os gregos, por oposição aos cristãos, levavam a tragédia a sério. Tragédia era tragédia. Não existia para eles, como existia para os cristãos, um céu onde a tragédia seria transformada em comédia. 

Ele se perguntou então das razões por que os gregos, sendo dominados por esse sentimento trágico da vida, não sucumbiram ao pessimismo. A resposta que encontrou foi a mesma da ostra que faz uma pérola: eles não se entregaram ao pessimismo porque foram capazes de transformar a tragédia em beleza. A beleza não elimina a tragédia, mas a torna suportável. A felicidade é um dom que deve ser simplesmente gozado. Ela se basta. Mas ela não cria. Não produz pérolas. São os que sofrem que produzem a beleza, para parar de sofrer. 

Ostra feliz não faz pérola: Rubem Alves; Pág. 09